sexta-feira, 27 de junho de 2014

O elevador e "o mesmo": pode isso?

Olá, galera! Tudo bem?

Certamente, vocês já viram aquela famosa plaquinha presente nos edifícios: “Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se parado neste andar”.
Ok! Você já reconheceu a advertência, mas qual é a relação dela com a postagem de hoje?

Amigos, se vocês me permitirem dar uma dica de redação, não hesitarei em anunciar: EVITEM O USO DE “O MESMO / A MESMA” COMO PRONOME PESSOAL!!! Por quê? Como assim?
Na escrita – e, às vezes, na fala –, muitas pessoas utilizam a palavrinha “mesmo” com o objetivo de evitar a repetição de termos já usados na sentença. Por esse motivo, sempre encontramos por aí frases do tipo:
A professora precisou falar com os pais da garota, e os mesmos afirmaram não saber do incidente.

Percebam que não há necessidade alguma de empregar a expressão “OS MESMOS”, já que poderíamos substituí-la (tranquilamente!) pelo simples pronome “ELES”:
A professora precisou falar com os pais da garota, e ELES (os pais da garota, oras!) afirmaram não saber do incidente.

Utilizar o pronome em questão (“eles”) evita a repetição de “os pais da garota”, faz referência clara à expressão anterior (função anafórica do pronome em pauta) e resolve todo o problema da escrita. Não é preciso recorrer ao uso de “os mesmos”, até porque “MESMO” não funciona como pronome pessoal, minha gente! ISSO NÃO SIGNIFICA QUE NÃO DEVAMOS UTILIZAR A PALAVRA “MESMO” NUNCA MAIS. Quando poderemos empregá-la, então, meu Deus? Nos casos abaixo, por exemplo:

* Com valor de reforço (ênfase):
- Ele MESMO preferiu abrir o envelope. => equivale a “Ele PRÓPRIO resolveu...”.

* Com valor de adjetivo:
- Pai e filho têm os MESMOS hábitos. => eles têm gostos IGUAIS (ideia de IDENTIDADE e de IGUALDADE entre as coisas).

* Com valor de advérbio:
- Ela está com um novo namorado MESMO? => REALMENTE, DE FATO, DE VERDADE.

* Com valor de conjunção concessiva:
- MESMO QUE resolva ficar em casa, não se esqueça de me avisar => equivale a “AINDA QUE”.

* Com valor indicativo de limite (equivale ao uso de “ATÉ”):
- MESMO as pessoas que se diziam solidárias nunca mais apareceram para ajudar. => corresponde a “Até as pessoas que se diziam solidárias nunca mais apareceram para ajudar”.

* Com valor de “a mesma coisa”, em forma neutra:
- Ontem à noite, fiquei em casa e assisti a dois seriados. Pretendo fazer O MESMO hoje.

Tornando à advertência relacionada ao elevador, afirmo que, segundo os padrões tradicionais da língua, o aviso está escrito de maneira inadequada. Sim, pessoal! A lei em questão está escrita de modo inadequado. Quando vocês virem uma plaquinha semelhante, lembrem-se de que o uso de O MESMO / A MESMA não cabe para os casos de substituição de alguma palavra por pronome pessoal. Utilizem os pronomes pessoais ELE / ELA ou os relativos OS QUAIS / AS QUAIS.
Última dica: não é nada elegante escrever O MESMO / A MESMA nos casos como o do elevador. Nadinha mesmo! => [E ESSE ÚLTIMO "MESMO" É ADVÉRBIO.]

Abração. Até a próxima!


2 comentários:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela gentileza, António. Fico extremamente feliz por saber que gostou do blog.
      Volte mais vezes! As postagens são semanais.
      Passei a segui-lo no Google Plus (não tenho FB).
      Abraço.

      Excluir

Sinta-se bem à vontade para comentar. Com a sua contribuição, saberei como deixar este espaço mais bacana para você e para todos nós.
Muito obrigada!